quinta-feira, 10 de abril de 2014

43.00 pessoas já desinstalaram o Firefox em protesto contra a ditadura gay da Mozila



O caso Brendan Eich, criador da linguagem de JavaScript, mostra que não importa sua inteligência, sua capacidade na área, se não concorda com a militância homossexual eles te destruirão.

Após ter feito uma doação de mil dólares em seu nome à Proposta 8, a lei que proibia o casamento gay na Califórnia. Uma campanha dentro da própria Mozila, que posteriormente ganhou o apoio da militância homossexual, fez com que o CEO pedisse demissão.

Em pronunciamento a Mozila pediu perdão por não ter tratado (demitido) o caso com mais rapidez.

Em reação, CitizenGO iniciou uma campanha para desinstalação do Firefox e envio de protestos a Mozila, em menos de uma semana já ganhou uma gigantesca adesão e não para de crescer.O que tem provocado um verdadeiro tsunami na opinião pública pelo mundo. Andrew Sullivan, um conhecido colunista gay publicou essa semana:


Esse episódio causa-me asco, como deveria causar em qualquer pessoa interessada em uma sociedade tolerante e diversa. (...) Se hoje o movimento dos direitos dos gays consiste em acusar os oponentes com um fanatismo próprio de grupos religiosos, então que não contem comigo.

Michael Barbaro, colunista do The New York Times, publicou nas redes sociais:

Nesse momento em que o movimento dos direitos homossexuais tem vencido. Esta é uma grande notícia e me leva a perguntar: A oposição ao casamento gay agora é crime?

Que não fiquemos quietos enquanto uma luta é travada contra a família. Participe também da campanha:




0 comentários:

Postar um comentário